Insuficiência Cardíaca

Insuficiência Cardíaca

ICC

Insuficiência Cardíaca

O que é a insuficiência cardíaca? Quais os sintomas?

A ICC é a falha do coração bombear o sangue para o corpo. Se o sangue não consegue ser propulsionado para a circulação, isso faz com que ele se  acumule nos pulmões, levando a falta de ar e nas veias, levando ao edema, ou seja inchaço nas pernas, rosto e barriga. Tudo isso se ocorrer progressivamente, pode ter graus variados de sintomas

 

Há uma faixa etária de risco? Qual seria? Quais seriam os motivos?

A idade mais predisponente para o aparecimento da IC é acima de 60 anos. 

A insuficiência cardíaca é a via final da maioria das cardiopatias, por isso está associada ao aumento da longevidade da população e ao avanço diagnóstico e terapêutico das cardiopatias, assim como da própria IC, que ocasiona maior sobrevida. Por isso, a IC é reconhecida na atualidade como um importante problema de saúde pública com perspectiva de tornar-se cada vez maior.

 

Essa doença atinge mais homens ou mulheres? Por que? Quais os motivos?

A insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada (assintomática) é prevalente em mulheres idosas. A IC com fração de ejeção reduzida (com sintomas) é mais comum em homens e associada com edema, doença coronariana, insuficiência renal crônica, uso de álcool, cigarro e hospitalizações.

 

Quais os principais fatores/hábitos diários que podem desencadear a insuficiência cardíaca?

A insuficiência cardíaca é a via final da maioria das cardiopatias, assim como de diversas doenças metabólicas, por isso nunca é o único diagnóstico. Múltiplos fatores de riscos estão presentes simultaneamente e precedem o surgimento da IC, o que torna difícil selecionar a causa básica. Por exemplo, cardiomiopatia chagásica, hipertensão arterial, anemia, doença coronariana, dislipidemia, obesidade, diabetes são os principais fatores de risco. 

 

A prática de atividades físicas pode ser uma aliada na prevenção e no tratamento? De que forma? Quais seriam os benefícios?

A atividade física pode ajudar na prevenção de diversas causas da ICC, como na obesidade, diabetes, hipertensão e outras, entretanto o portador de IC deve ter orientação médica precisa antes de praticar atividade física.

Já como coadjuvante do tratamento, quando a doença já está instalada, a atividade deve ser feita sob supervisão médica.

A reabilitação ou atividade física programada melhora a qualidade de vida e a capacidade para exercício

 

Quais seriam os tipos de tratamentos/medicamentos?

Uma vez que o paciente já apresentou ICC, deve manter-se sempre sob controle, para que ela não se descompense. 

  1. Tratamento não farmacológico; a mudança no estilo de vida, é de fundamental importância para a melhora clínica desse paciente:
  2. Tratamento Medicamentoso: Hoje existem diversas classes de medicamentos para controlar a IC
  3. Tratamento Cirúrgico: existem algumas cirurgias para melhorar o desempenho cardíaco e por último o transplante cardíaco

 

Neste caso, qual a importância do check-up?

Os checkups tem a função de detectar doenças que ainda não apresentam sintomas. Quanto mais cedo pudermos diagnosticá-las e tratá-las, menos tempo de causar danos ao organismo elas terão chance. Como as doenças cardiovasculares são a primeira causa de mortalidade no mundo e o Brasil está entre os 10 países com esse maior índice, com perspectiva de cada vez aumentar, com certeza o controle dos fatores de risco para essas doenças, modifica sobremaneira sua evolução natural. Salvando aqueles que levam a serio, de terem problemas dificilmente curáveis no futuro.

Sua incidência cada vez maior decorre da urbanização da população, do maior acesso às riquezas, da falta de controle dos fatores de risco, como a obesidade, a hipertensão, a dislipidemia, a diabetes, o sedentarismo, o tabagismo, o estresse, além da maior longevidade da população, propiciando maior tempo de exposição aos fatores de risco mencionados.

 

 

Quais as suas recomendações gerais sobre esse assunto, principalmente em relação a prevenção?

Ter hábitos de vida saudáveis: alimentação saudável, praticar atividade física regularmente, fazer avaliação médica periódica para detectar doenças assintomaticas. Tratar corretamente as doenças diagnosticadas. Especificamente para a IC

  1. retrição de sódio para 2 a 4 g/ dia
  2. retrição de água para 1/2 a 1l na forma avançada
  3. evitar ingestão alcoólica
  4. dieta hiperproteica de alto valor biológico
  5. fazer várias refeições de baixo volume
  6. evitar refeições com medicação
  7. interromper tabagismo
  8. introduzir exercícios gradativamente
  9. repousar, na cama, no meio do dia
  10. controlar colesterol e glicemia
  11. reduzir o estresse
  12. tomar vacinas para gripe e pneumonia
  13. atenção ao uso de anti-inflamatórios que podem levar ao edema
  14. atenção à presença de febre, que pode levar à descompensação
  15. não esquecer da medicação

 

Alimentos Proibidos:

 

  • Embutidos (salsicha, lingüiça, mortadela, salame, presunto, chouriço, paio);
  • Enlatados (ervilha, sardinha, palmito, aspargo, milho verde, patês, azeitonas);
  • Carnes: defumada, seca, porco, bacalhau, camarão seco, pele de frango;
  • Conservas: picles, maionese, chucrute;
  • Condimentos: mostarda, catchup, molho inglês;
  • Temperos: sal, caldo de carne ou de galinha, pimenta do reino, colorau;
  • Sopas prontas;
  • Salgadinhos para aperitivos, industrializados, frituras;
  • Manteiga ou margarina com sal;
  • Pão de sal, pão de forma;
  • Bolachas salgadas;
  • Torradas salgadas;
  • Creme de leite;
  • Queijos tipo: mussarela, provolone, prato, fresco com sal, requeijão, suíço, catupiry, gorgonzola, rockfort.

 

Recomendações:

 

  1. Preparar os alimentos sem sal;
  2. Após o preparo, adicionar ao alimento, no máximo, 1 grama de sal;
  3. Temperos permitidos: limão, cebola, alho, salsa, hortelã;
  4. Substituir o pão por bolacha de água ou doce; pão sem sal;
  5. Óleo, de preferência, de girassol ou de milho para o preparo das refeições;
  6. Substituto dos queijos salgados: ricota ou queijo fresco sem sal.

Autor: Prof. Dra. Marisa Amato