Perguntas e Respostas

cardiologia

O que é uma doença cardiovascular?

São as doenças que acometem o coração e o sistema circulatório composto pelas artérias, veias e vasos linfáticos. Isso quer dizer por exemplo: enfarte, acidente vascular cerebral (derrame), aneurisma, gangrena e outras

 

 

O que é o infarto do miocárdio?

É quando uma área do músculo cardíaco morre devido a obstrução de alguma artéria que irriga o coração. Isso ocorre pelo entupimento e ou espasmo agudo de uma artéria do coração devido a um coágulo, ou seja um trombo que se desprende de um ateroma, isto é, de uma placa de gordura que se deposita na parede da artéria e bloqueia a circulação sanguínea. Privada de oxigenação, essa área sofre lesões irreversíveis que caracterizam o infarto do miocárdio

 

 

Porque o infarto é tido como uma doença multifatorial?

O infarto é consequência da obstrução de alguma artéria que nutre o coração e isso pode ocorrer pela deposição de gordura na parede dessas artérias, assim como pelo espasmo arterial. Esse processo ocorre como consequência de diversos fatores que agem no decorrer dos anos potencializando-se como o colesterol elevado, a hipertensão arterial, o diabetes, o tabagismo, o estresse e outros

 

 

Infarto e ataque cardíaco são a mesma coisa?

Ataque cardíaco é um termo genérico que engloba o infarto, assim como outros problemas cardíacos como as diversas arritmias e até a parada cardíaca.

 

O que é infarto fulminante?

Aquele que leva à morte. Diz-se do infarto que acomete diversas artérias e portanto compromete uma região muito extensa do coração, levando a falência cardíaca e quase sempre à morte

 

Quando o infarto pode levar à morte súbita?

Quando o infarto acomete:

  • uma região muito grande do coração, 
  • ou uma região responsável pela condução do estimulo cardíaco, desencadeando arritmias sérias;
  • ou quando acomete uma valva cardíaca levando a insuficiência cardaca aguda e de difícil controle

 

 

A partir de que idade pode-se infartar?

Não existe uma idade definida, entretanto o infarto em pessoas com menos de 35 anos de idade é raro e incide em menos de 5% dos casos

Depende dos fatores de risco familiares, da presença de determinadas doenças e dos hábitos de vida

 

 

Qual a incidência de infarto em crianças?

O infarto em crianças é muito raro e sempre decorrente de alguma doença, como por exemplo:

  • Doença de Kawasaki- É uma doença exantemática reumatológica de origem desconhecida de provável causa infecciosa; 80% dos casos ocorrem em menores de 5 anos de idade; é uma vasculite necrosante de artérias de vários calibres, com predileção pelas artérias coronárias (que irrigam o coração), podendo levar a complicações cardíacas permanentes e progressivas
  • Hieperlipidemia familiar- Relacionada a herança de genes que regulam os receptores de colesterol de forma ineficiente ou são lentos para realizar a função a que se destinam ou ainda  há quem não possua receptor algum. O que justifica a ocorrência de infartos em crianças por volta dos 10 anos, cujos níveis de colesterol superam 1000 mg.
  • Arritmias cardíacas 
  • Infecções cardíacas
  • Mal formação coronariana
  • Obesidade

2 comentários em “Perguntas e Respostas”

  1. Fiz um exame de cardiologia em Cabo Verde e os resultados foram os seguintes:
    1. Estruturas valvulares normais;
    2. Pericárdio Normais;
    3. Septos normais.

    Mas na conclusão do relatório consta: Disfunção Diastólica Tipo II.
    Que parâmetro/(s) possam estar fora do normal para que seja referenciada a disfunção diastólica Tipo II?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nv-author-image

Prof. Dra. Marisa Amato

Especialista em Cardiologia pela Associação Médica Brasileira. Mestrado em Ciências, na área de Fisiologia Humana, pela Universidade de São Paulo,1982. Doutorado em Medicina pela Universidade de São Paulo,1988. Bolsista de pós doutorado do governo alemão pela Fundação Alexander von Humboldt, em Hamburg, 1992/1993. Professora Livre Docente de Cardiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, 1998. Artigo Científico com repercussão internacional, publicado na Heart British Medical Journal, servindo de referência para o Consenso Europeu de Cardiopatias Valvares, 2001. MBA em Economia e Gestão em Saúde pela Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo,em 2005.Presidenta da Academia de Medicina de São Paulo, biênio 1997/1998. Membro do Conselho de Cultura da Associação Paulista de Medicina, biênio 1999/2002. Membro do Conselho de Economia, Sociologia e Política da Federação do Comércio do Estado de São Paulo do Sesc e do Senac, desde março de 2008.Presidenta do Clube Humboldt do Brasil, eleita em novembro de 2008. CRM: 30400 RTE 056950