As hipercromias cutâneas são desordens na pigmentação originadas por uma produção excessiva de melanina, que contrasta c…

As hipercromias cutâneas são desordens na pigmentação originadas por uma produção excessiva de melanina, que contrasta com regiões adjacentes, gerando diferença de tonalidade por concentração localizada de pigmentos.⠀

Esse escurecimento pode ser resultado de fatores como:⠀
• Exposição solar, radiação ultravioleta;⠀
• Traumas na região (acne, picada de inseto, queimadura e peeling);⠀
• Alguns medicamentos (anticoncepcionais amiodarona e fluoxetina);⠀
• Fatores hormonais (gravidez, hormônios da hipófise, estrogênios e da tireoide);⠀
• Nutricionais: oligoelementos (zinco e cobre), adoçantes (ciclamato e sacarina);⠀
• Deficiência de vitaminas A e C;⠀
• Distúrbios orgânicos: hepatopatias (doenças do fígado);⠀
• Fatores genéticos: envolvido em todos os estágios da melanogênese.⠀

É fundamental pontuar que o tratamento não é igual para todo tipo de hipercromia e pessoa. Devem ser consideradas as várias vias de produção de melanina e, dependendo do tipo, fazer uso de terapias combinadas, o que possibilitara em melhores resultado.⠀

🤔 Tem alguma dúvida? Deixe uma mensagem e tire sua dúvida.⠀

🚨 Procure sempre o médico de sua confiança.⠀
__________________⠀

Contato: (11) 5053-2222.
nv-author-image

Prof. Dra. Marisa Amato

Especialista em Cardiologia pela Associação Médica Brasileira. Mestrado em Ciências, na área de Fisiologia Humana, pela Universidade de São Paulo,1982. Doutorado em Medicina pela Universidade de São Paulo,1988. Bolsista de pós doutorado do governo alemão pela Fundação Alexander von Humboldt, em Hamburg, 1992/1993. Professora Livre Docente de Cardiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, 1998. Artigo Científico com repercussão internacional, publicado na Heart British Medical Journal, servindo de referência para o Consenso Europeu de Cardiopatias Valvares, 2001. MBA em Economia e Gestão em Saúde pela Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo,em 2005.Presidenta da Academia de Medicina de São Paulo, biênio 1997/1998. Membro do Conselho de Cultura da Associação Paulista de Medicina, biênio 1999/2002. Membro do Conselho de Economia, Sociologia e Política da Federação do Comércio do Estado de São Paulo do Sesc e do Senac, desde março de 2008.Presidenta do Clube Humboldt do Brasil, eleita em novembro de 2008. CRM: 30400 RTE 056950