fbpx Visão Holística da Sociedade | Cardiologia.pro

Visão Holística da Sociedade

 

 

 

 

Capítulo 5

Visão Holística da Sociedade

 

35. Criatividade – 36 e 37. Formação de Elite – 38 a 49. Visão Internacional

 

 

35. Criatividade 

35.   Dia da Criatividade, curso patrocinado pela Associação Mundial de Cultura, realizado em 24 de novembro de 1975. (Doc. 16)

 

36 e 37. Formação de Elite 

36. V Novas Gerações, curso ministrado por Renato Bernhoeft no projeto de formação de sucessores, realizado pelas Organizações Bernhoeft, em 08-06-1995. (Doc. 225)

Semanalmente, durante um dia inteiro, no período de seis meses, fez o referido curso.

Programa: Módulo 1: Sucessão e Profissionalização da Empresa Familiar (Renato Bernhoeft) – Apresentação e discussão do cenário atual das empresas familiares. Dinâmica dos sistemas que interagem no processo da transição. Perfil dos Participantes e Objetivos (toda a equipe de consultores) – Apresentação dos partipantes para o grupo e a equipe de consultores, explanando sua realidade atual e expectativas. Planejamento de Vida e Carreira do Herdeiro(a) (Renata Bernhoeft) – Os ciclos de desenvolvimento da carreira. Potencial do herdeiro(a) e as oportunidades do contexto atual. Análise das chaves para uma escolha bem sucedida. Módulo 2: Características e Cultura da Empresa Familiar (Luiz Felipe Cortoni) – Análise da visão do herdeiro(a), valores e estilos de liderança; para auxiliar os participantes no contexto de trabalho dentro da organização familiar. Análise de tópicos como “os executivos não-familiares”, “os antigos de casa” e a legitimação do sucessor(a). Conselho de Administração e Fiscal (Luciano C. Ventura) – Debater o funcionamento eficiente do conselho no contexto das empresas familiares como legitimação do papel dos sócios. Aspectos Jurídicos e Tributários da Empresa Familiar (Edison Carmagnani) – Compreender o funcionamento das holdings para o planejamento sucessório das empresas. O reflexo da sucessão nos aspectos patrimoniais. Módulo 3: A dinâmica familiar e o processo de sucessão (Terapeuta Familiar Tai Castilho) – A família como sistema. Compreender o papel dos indivíduos, dos mitos Familiar e da cultura familiar no processo de sucessão; através do depoimento dos participantes e dinâmicas vivenciais. Auto-Desenvolvimento e Comunicação (Renata Bernhoeft) – O processo de desenvolvimento do indivíduo como base parasua realização na carreira. Estabelecimento de novos padrões de interação com seu contexto. Módulo 4: A Construção do Acordo Societário (Renato Bernhoeft) – A empresa familiar é caracterizada pela pulverização societária no decorrer das gerações. Discutir aspectos relacionados ao modelo e acordos societários. Como obter e operacionalizar. Depoimentos de Fundadores: Quem já viveu ou vive este processo e está disposto a dividir sua história com os herdeiros(as). Depoimentos de Herdeiros(as) – Os herdeiros que estão vivendo a experiência da sucessão; Feed-Back Grupal – Exercício dos conceitos de feed-back, os participantes poderão avaliar como o seu comportamento é percebido pelo grupo; Avaliação do Curso e Fechamento – Oportunidade de sugerir e relatar sua experiência no processo, gerando feed-back para nossa equipe.

Interessante desse Curso, feito em período integral, foi a avaliação do perfil psicológico pelo VECA - Método para Verificação do Comportamento Administrativo – REAB/74.

Planejamento - Habilidade: possui boa capacidade de análise lógica, com visão realista das situações. Seu horizonte mental está além do cargo. Utiliza-se de conceitos próprios. Possui equilíbrio entre teoria e prática. Atitude: posiciona-se de forma projetada e gosta de prever desdobramentos de uma ação. Gestão: sua eficácia está na capacidade de planejar a curto, médio e longo prazo e de implementar ações com indicadores de acompanhamento vinculados a resultados. Organização – Habilidade: possui habilidade para captar, alocar, distribuir e organizar recursos para si e para os outros. Atitude: preocupa-se com a organização, aprecia seguir os fluxos e processos já definidos e contratados com seu grupo de trabalho. Gestão: obtém eficácia pela capacidade de criar uma estrutura bem definida de saber onde, como e quando obter os recursos. Possui senso de custo-benefício dos recursos. Controle – Habilidade: possui habilidade para definir teoricamente como e onde quer chegar aos resultados. Suporta o controle sobre si próprio. Atitude: dispõe-se a aceitar com responsabilidade o que lhe é delegado. Sente-se desconfortável quando cobrado preferindo antecipar-se ao controle. Espera atitude responsável do subordinado. Cobra pouco. Gestão: sua eficácia está na capacidade de estabelecer seu próprio rumo e na responsabilidade pelo trabalho. Perde eficácia no desenvolvimento de equipe e na obtenção de resultado pela dificuldade de estabelecer e/ou acompanhar indicadores de controle. Liderança – Habilidade: identifica-se com o papel de líder e tem facilidade para atuar neste papel com respaldo conceitual para estabelecer a relevância de suas tarefas e do grupo. É hábil para mobilizar e até persuadir o grupo. Atitude: gosta de possuir subordinados e atuar no papel de líder. Dá bastante valor á imagemde chefia/direção. Possui uma boa imagem no grupo e consegue estabelecer relações claras com seus subordinados. Gosta de estar em evidência. Gestão: é bastante eficaz na mobilização do grupo em torno de objetivos, consegue delegar bem e raramente acumula o trabalho para si. Responde pelo trabalho de seu grupo e maneja sua imagem muito bem dentro da organização. Comunicação – Habilidade: é bastante hábil na explicitação de seus objetivos, sabe se expressar perante o grupo e possuir um conteúdo consistente. Consegue adequar sua habilidade de acordo com temas e pessoas. Atitude: é aberto para comunicação sem perder a seletividade, sabe a hora de ouvir e se expressa com bastante clareza perante o grupo. Considera as informações que recebe e detém o necessário. Gestão: é pessoa clara e objetiva na atuação e portanto ouvida pelo grupo. Usa sua expressão em momentos oportunos e sabe ser seletivo quando explicita. Sabe ouvir e perguntar, mas não se desgasta explicando temas irrelevantes. Decisão – Habilidade: toma decisões com rapidez e segurança, mantém um banco de dados organizado para suporte. Geralmente é oportuno em suas atitudes. Atitude: é bastante assertivo no seu processo decisório, portanto sabe quando pode correr riscos. Está disposto a tomar atitudes e assume as consequências, possui equilíbrio entre pensar e agir. Gestão: é bastante eficaz nos processos de rotina e sente-se seguro também nas decisões de inovação. Utiliza seu banco de dados para basear sua decisão, corre riscos na hora certa sabendo utilizar sua intuição e lógica. Tempo de Execução – Habilidade: é hábil para dimensionar e administrar o tempo para a execução das tarefas. É visto como pontual e responsável. Tipo que não adia o trabalho. Atitude: dispõe-se a trabalhar com prazos curtos e consegue organizar a execução para o objetivo sem desgastar a si e sua equipe. Geralmente realiza o trabalho completo e impõe seu ritmo aos outros. Gestão: é bastante eficaz na realização de tarefas dentro do prazo, não compromete os resultados pelo fator tempo por conseguir dimensionar o tempo necessário de execução. Intensidade Operacional – Habilidade: consegue selecionar bem as tarefas com tendência a assumir maior carga de trabalho para si, se envolve com o trabalho e é visto como pessoa dedicada, o tipo que não fica à toa. Atitude: considera importante mostrar que está produzindo, responde adequadamente a carga de trabalho mas tem alguma tendência a absorver atividades secundárias que poderia repassar. Gestão: tem bastante eficácia na execução de tarefas mas pode se desgastar quando se envolve com a execução de tarefas irrelevantes. Pode perder eficácia quando acumula o trabalho que poderia repassar, perdendo o foco do seu papel. Sugestões: seja mais seletivo com tarefas e cuidado para não acumular o trabalho. Relação com autoridade – Habilidade: bom negociador, consegue ser hábil na condução dos processos opondo-se quando necessário. Dá estímulo a seus subordinados e respeita a figura da autoridade. Atitude: está disposto a negociar suas decisões. Valoriza a hierarquia, reconhecendo a necessidade de estímulos e apoio da figura de autoridade para si e para os outros. Gestão: é bastante eficaz na condução dos processos, é independente quando necessário e sabe o momento de respeitar a hierarquia. Dá estímulo suficiente a seus subordinados e espera receber o apoio necessário das figuras de autoridade. Flexibilidade – Habilidade: pessoa com tendência a rigidez no seguimento de normas, regras e metodologia. Tem mais foco no processo do que nos resultados. Atitude: adequa-se bem às normas existentes e não se dispõe muito a utilizar as inovações. Precisa de uma boa argumentação para se adequar às mudanças. Gestão: por ser fiel às normas, pode comprometer sua criatividade e bloquear a contribuição através da inovação de seus subordinados. É ótimo executor e nunca foge à regra. Priorização – Habilidade: consegue estabelecer prioridades e centrar sua atenção em uma tarefa específica, tendo necessidade de concluir o que inicia. Tipo bastante determinado e perseverante em relação ao que quer. Atitude: dá bastante valor a priorização e foca bem suas tarefas mas tem dificuldade em lidar com o imprevisto e reorganizar suas metas de acordo com as emergências. Gestão: é um bom finalizador mas perde eficácia quando tem dificuldade em trabalhar com várias tarefas ao mesmo tempo, perdendo sua visão do conjunto. É muito centrado na atividade e o imprevisto o incomoda. Sugestões: atenda suas prioridades sem esquecer que podem ocorrer problemas de percurso. Detalhismo / Delegação – Habilidade: tem definição clara da importância dos detalhes de acordo com o resultado que espera, absorve o que considera importante e consegue delegar bem, acompanhando a execução. Atitude: apresenta equilíbrio na seleção de tarefas, conseguindo separar os detalhes através de seu grau de importância. Acredita no desempenho dos outros e por isto delega as atividades. Gestão: é bastante eficaz quando mantém o foco nos detalhes importantes do trabalho e consegue repassar as tarefas apenas atuando como supervisor do trabalho. Administração de Conflitos – Habilidade: é pessoa sensível que não gosta de ferir ou ser ferido, tende a ter comportamento passivo e condescendente com a situação. Atitude: adota postura de indiferença, subestimando as forças sutis de conflito. Tem dificuldade em aceitar o confronto e se posicionar frente à sua existência. Gestão: perde eficácia por não conseguir encarar os problemas e resolvê-los. Adota postura paternalista e distante para evitar o confronto, o que prejudica suas ações concretivas. Emotividade – Habilidade: pessoa emocionalmente controlada, que sabe quando se controlar, é sensível mas bastante equilibrado. Atitude: atua no grupo como pessoa ponderada e controlada, expõe-se o necessário e consegue ter relacionamentos saudáveis no conjunto. Apresenta maturidade emocional no manejo das situações e não as vincula com as decisões. Gestão: exerce sobre si um controle adequado de emoções e lida com as situações sem envolver os sentimentos. Age de maneira equilibrada e adequa suas emoções às pressões do meio, expondo-se quando necessário. Criatividade / Inovação – Habilidade: pessoa que aceita e se adapta bem às mudanças e inovações, pondera o suficiente e utiliza sua análise criteriosa para avaliar os novos processos. Atitude: é bastante equilibrada na manutenção do statu quo e na implantação das mudanças. Não bloqueia e consegue avaliar a real necessidade de inovar. Gestão: é bastante eficaz na seleção de inovações e suas necessidades, consegue manter processos conhecidos e rotineiros otimizados e implantar as mudanças necessárias. Afetividade - Habilidade: pessoa que possui equilíbrio em suas relações, sendo íntima quando oportuno e reconhecendo a formalidade em certas situações. Atitude: atua estabelecendo relações saudáveis e afetivamente em si e nos outros a necessidade de contato. Gestão: é bastante eficaz quando se coloca como pessoa acessível e calorosa dentro do grupo e consegue separar sua emoção da tomada de decisões o que o torna objetivo e imparcial. Realização – Habilidade: pessoa ambiciosa e exigente em relação a sua realização e a dos outros. Pode fixar metas fora de alcance mas tem alta motivação. Atitude: está sempre aberto as oportunidades e desafios mas pode não avaliar por suas habilidades e limitações, se atirando ao processo e sendo guiado por sua ambição e necessidade de se sobressair. Gestão: perde eficácia quando fixa metas fora da realidade sem analisar a competência e habilidade para obtenção de resultados, quando frustrado culpa o meio ou a organização pelo não reconhecimento. Auto-Imagem – Habilidade: pessoa com postura reservada que tem dificuldade em reconhecer sua auto-estima, atua modestamente e com sinceridade. Atitude: atua no grupo com reserva e timidez, não se sente à vontade para expor suas realizações e pontos fortes, adotando postura retraída e distante por não gostar de ser o centro das atenções. Gestão: pode perder a eficácia quando não é hábil na venda de sua imagem, adotando postura retraída e sem valorizar seus pontos fortes. Tem dificuldade em interagir no grupo. Sociabilidade – Habilidade:  é pessoa bastante adequada socialmente e sensível à demanda da equipe, ouve as pessoas e pondera sobre suas opiniões. Atitude: valoriza o trabalho individual e tem facilidade de adequação quando necessário o trabalho em grupo. Consegue perceber as necessidades dos outros e suas decisões atendem às necessidades da equipe realísticamente. Gestão: é bastante eficaz na condução do grupo e também ao fazer parte dele, trata-se de pessoa que analisa as opiniões alheias e sabe impôr as suas quando necessário. Mobilidade Física – Habilidade: apresenta equilíbrio de tônus vital entre movimentação e passividade física. Atitude: valoriza a vitalidade e a energia, o que lhe permite deslocamento a acompanhamento das tarefas. Gestão: é eficaz na supervisão que exige circulação e também tem capacidade para concentrar-se e atuar em trabalhos que não exijam muita movimentação. Consegue compor bem sua disposição física.

37.   Grupo de Estudos da Empresa Familiar, curso ministrado por Renato Bernhoeft como seqüência ao projeto “Novas Gerações”. (Doc. 225)

Objetivo: Reuniões destinadas aos herdeiros(as) e sucessores(as) para discussão dos aspectos relevantes na fase de transição das Empresas Familiares, promovendo o intercâmbio de experiências e o desenvolvimento de jovens lideranças.

Duração: Encontro mensal de 3 horas (grupos de até 15 participantes)

Conteúdo: Temas relacionados ao momento das Empresas Familiares como: sucessão e profissionalização da Empresa Familiar; O acordo societário; A dinâmica da família e seu impacto na organização; Auto-desenvolvimento do herdeiro; Aspectos jurídicos e tributários da Empresa Familiar; Executivos familiares e não familiares; Formação e organização do conselho de acionistas e uma série de temas propostos pelo grupo no decorre das atividades.

Coordenação: Renato Bernhoeft, Renata Bernhoeft e Consultores convidados para temas específicos.

Participantes: Herdeiros(as), gestores(as) e/ou sucessores(as) que vivem ou viveram o processo de sucessão e estão familiarizados com a dinâmica deste contexto, ou participantes que já concluíram o curso Novas Gerações.

 

38 a 49. Visão Internacional

Freqüentou uma série de Seminários promovidos pela HSM – Cultura e Desenvolvimento, conduzidos por grandes personalidades e reconhecidos internacionalmente como de autoridades em valor econômico social da administração e da relação no trabalho.

 

  1. Brasil e América Latina: Progresso e Estabilidade, um Imperativo, seminário conduzido pelo Sr. John Kenneth Galbraith, realizado em S. Paulo, 4 de outubro de 1989. (Doc. 146)

John Kenneth Galbraith – Considerado um dos maiores economistas deste século. Galbraith é autor de 26 livros, traduzidos para diversos idiomas. Os seus mais recentes lançamentos são: “A View From The Stands”, “The Anatomy Of Power”, “The Nature Of Mass Poverty”, e “The Voice Of The Poor”. Algumas de suas obras mais conhecidas são: “The Affluent Society”, “The New Industrial State”, “Money: Whence It Came, Where It Went” e “The Age Of Uncertainty”. É uma das mais respeitadas personalidades de nossos tempos, figura influente na política e economia, participando intensamente da vida cultural e política dos Estados Unidos e do mundo nos últimos 50 anos.

Foi assessor do presidente John F. Kennedy e embaixador dos Estados Unidos na Índia, além de ocupar outros cargos públicos.

Lecionou nas universidades da Califórnia, Princeton e Cambridge. Atualmente leciona em Harvard.

Programa: A palestra de John Kenneth Galbratih reflete o seu trabalho mais recente. Trata da crise econômica, social e política da América Latina, em seu contexto histórico mais amplo. A questão que se coloca diz respeito ao crescente empobrecimento, descontentamento social e à inflação extrema.

Em contraste com o século XIX, afirma Galbraith, este século reflete as novas obrigações sociais assumidas pelo estado moderno e o problema de sua assimilação e controle. Também leva em conta o papel particularmente urgente da revisão do conceito de empréstimo e dívida. É neste ponto que a História é especialmente importante. Antigamente, os clamores sociais sobre a economia eram muito menores e qualquer excesso era resolvido pelas pressões impessoais do mercado e dos padrões monetários internacionais comuns. Hoje, essas reivindicações precisam ser solucionadas pelo Estado. A ausência de soluções conduz a sérias distorções inflacionárias que, por sua vez, têm seus próprios efeitos cumulativamente agravados.

O professor Galbraith trata especificamente das exigências da dívida externa, novamente em contraste com o século passado e com as primeiras décadas deste século. Naquele tempo, quando se exercia uma pressão excessiva para a cobrança, havia a solução imediata, firme e final da inadimplência. Este foi um lugar comum em todos os momentos do passado. Hoje, contrastando, existem a mistificação e a evasão financeira, que agravam o problema, adiando dolorosamente o ajuste de contas.

Seguindo a análise anterior, Galbraith trata das soluções e ações necessárias tanto no que se refere à estabilização interna como do ônus da dívida externa, oferecendo sugestões para a amortização efetiva da dívida atual.

 

  1. Brasil: Estabilização e Crescimento; uma Nova Abordagem para os anos 90, seminário conduzido pelo Sr. Jeffrey Sachs, realizado em S. Paulo, 4 de outubro de 1989. (Doc. 146)

Jeffrey Sachs – Renomado economista de Harvard e assessor econômico de diversos governos da Europa, Ásia e América Latina, Sachs foi o coordenador do programa de estabilização econômica na Bolívia. Consultor do “The World Bank” e do “United Nations Development Program”, do FMI e outros órgãos. Dedica hoje boa parte de seu tempo à formulação de programas econômicos para os países que assessora.

Programa: As origens da crise econômica no Brasil – A história da administração fiscal; O papel das empresas estatais e da política comercial internacional; O papel da desigualdade econômica; O papel da crise da dívida externa. Estratégias para a estabilização econômica – Lições de hiperinflações anteriores; Estratégias para o ajuste fiscal; Estratégias para a dívida externa; Novas abordagens para o crescimento a longo prazo – Definindo o papel apropriado das empresas estatais e privatização; A política comercial para os anos 90; A política para combater a desigualdade social.

 

  1. The Best of Robert Heller, seminário conduzido pelo Sr. Robert  Heller, realizado em S. Paulo, 5 de abril de 1990. (Doc. 147)

Robert Heller – Considerado o mais conceituado autor de administração da Europa, o inglês Robert Heller é autor de mais de 20 obras, publicadas em doze idiomas. A maioria tornou-se best-seller em toda a Europa, Estados Unidos e Japão. Destacam-se entre suas principais obras: The Supermanagers, The Supermarketers, The Naked Manager; The European Revenge; The State of Industry e The Decision Makers.

Heller foi editor do “Financial Times”, do “The Observer” e um dos fundadores da revista “Management Today”. Tem participado do conselho de várias empresas dos mais diversos ramos de atividade e proferido palestras para empresários e executivos por quatro continentes.

Sua reconhecida competência como autor e consultor internacional faz de Heller um dos maiores especialistas em administração da atualidade.

O contato com o resultado de seu trabalho e experiência ao longo de mais de trinta anos, trará uma importante contribuição aos empresários e executivos brasileiros.

Programa: Sessão I: Administração Empreendedora – Supermanagers – Aumentando a produtividade através das pessoas; Como aprender através dos erros gerenciais; Dominando a arte de assunir riscos; Criando uma visão empresarial; Administrando o futuro – agora. Sessão II: Liderança de mercado – o seu verdadeiro significado – Supermarketers – Tomando a dianteira no mercado; As chaves do marketing management; Colocando os clientes em primeiro lugar; Global marketing. Sessão III: Vantagem Competitiva – Posicionamento competitivo; Cost leadership; Diferenciação; Segmentação – focus; Mantendo a liderança em mercados flutuantes; Sessão IV: Conquista estratégica – Conquistando mercados através da aquisição; Estratégias de expansão; Oportunidades em épocas de transformação ou mudança; Inovando para crescer.

  1. Strategic Management in the 1990's, seminário conduzido pelo Sr. Igor Ansoff, em S. Paulo, 17 de maio de 1990. (Doc. 148)

Igor Ansoff – Reconhecido internacionalmente como a maior autoridade mundial em administração estratégica e planejamento estratégico.

Sua marcante contribuição à administração através de publicações e pesquisas soma-se à atuação, durante muitos anos, como alto executivo de grandes empresas como a Lockheed Aircraft Corporation e Rand Corporation. Tem prestado consultoria em diversos países para empresas como: Philips, General Electric, Bayer, Fiat, IBM, Gulf Oil, General Foods, Westinghouse, entre outras.

Obteve o Ph.D pela Brown University e tem recebido homenagens de diversas universidades e instituições como a Stockholm School of Economics, Manchester Business School e Academia Italiana di Economia e Aziendale. Em 1986, recebeu o título de Honorary Chairman da Strategic Management Society of Japan.

Programa: Sessão I: Fórmula do Sucesso Estratégico – os desafios da década de 90 – Diagnóstico Estratégico; Orientação Estratégica; Espírito Empreendedor Disciplinado em Ambientes de Turbulância; Componentes da Administração Estratégica; Adaptação das Empresas ao Ambiente; Evolução do Uso do Computador na Administração Estratégica. Sessão II: Resposta Estratégica – Tipos de Resposta Estratégica; Análise da Competitividade em Ambientes de Turbulência; Sistemas de Tomada de Decisão; Escolha da Estratégia Competitiva; Matriz de Posicionamento: Posição Competitiva da Empresa. Sessão III: Potencialidades de Gestão – Miopia Estratégica; Potencial de Gestão Adaptável; Flexibilidade Organizacional; Como Assegurar a Coexistência entre Administração de Operações e Administração Estratégica; Métodos de Avaliação do Ambiente. Sessão IV: Gestão do Processo de Transformação Organizacional – Barreiras e Resistência a Mudança; Estratégias para a Gestão de Mudanças; Métodos para Mudança de Mentalidade; Implementação de Mudança Estratégica.

 

  1. Prosperando no Caos, seminário conduzido pelo Sr. Tom Peters, realizado em S. Paulo, 23 de agosto de 1990. (Doc. 149)

Tom Peters – É autor dos maiores best sellers da história da administração:  ‘In Search of Excellence’ (Vencendo a Crise), ‘A Passion for Excellence’ e ‘Thriving on Chaos’. As três obras foram os únicos livros de administração a ocupar o 1o lugar no ‘National Best Seller List’ do The New York Times, tendo permanecido 130, 60 e 55 semanas, respectivamente, na lista. Traduzidos para 12 idiomas, ultrapassam hoje a marca de 6 milhões de cópias vendidas. Peters foi executivo e posteriormente sócio da McKinsey & Company, de 1974-81. A seguir, fundou o ‘The Tom Peters Group’, constituído por cinco empresas que atuam junto a grandes corporações nos Estados Unidos e Europa. Autor de numerosos artigos publicados nos mais importantes jornais e revistas, protagonista de três programas dirigidos a empresários na TV norte-americana, e consultor, Peters é o mais requisitado palestrante da atualidade. Por seu trabalho e experiência, é reconhecido como um dos maiores especialistas em administração do mundo.

Este evento, que trará importante contribuição à comunidade empresarial brasileira neste momento de reestruturação, baseia-se na obra ‘Prosperando no Caos’, que se constitui num arrojado programa de ação visando desenvolver a flexibilidade e restabelecer a competitividade nas organizações.

Programa: Sessão I: Criando Atenção Total ao Cliente – Especialização/Criação de Nichos/Diferenciação; Criando alta qualidade, na percepção do cliente; Atendimento superior/Enfatizando os atributos intangíveis; Criando singularidade; Obsessão por ouvir; Transformando a produção num instrumento de marketing. Sessão II: Procurando Inovar em Ritmo Acelerado – Desenvolvendo produtos e serviços em equipe; Incentivando modelos piloto; Sistematizando o ‘Word-of-Mouth’ marketing; Estabelecendo metas quantitativas de inovação; Criando capacidade corporativa para inovação. Sessão III: Mudanças – uma nova visão de liderança em todos os níveis – Desenvolvendo uma visão inspiradora; Submetendo-se à linha de frente; Criando um sentido de urgência; Desenvolvendo a gerência horizontal/Eliminando a burocracia; Incentivando a iniciativa à mudança. Sessão IV: Elaborando Sistemas para um Ambiente de Turbulência – Simplicidade e objetividade gerencial; Restaurando as principais ferramentas de controle; Descentralizando informações, autoridade e planejamento estratégico; Estabelecendo metas conservadoras; Exigindo integridade total.

 

  1. The Service Revolution, seminário conduzido pelo Sr. Ron Zemke, realizado em S. Paulo, 25 de outubro de 1990. (Doc. 150)

Ron Zemke – É reconhecido internacionalmente como o mais respeitado especialista em Customer Service da atualidade.

Autor de nove livros traduzidos para diversos idiomas, destacam-se como suas principais obras, os best sellers ‘Service America: Doing Business in the New Economy’, ‘Service Edge: 101 companies that profit from customer care’ e ‘Service Wisdom’.

Editor do Lakewood’s Training Magazine, a maior publicação do mundo na área, Zemke é autor de mais de 800 artigos publicados neste e em outros importantes jornais e revistas, abordando temas relacionados às diversas áreas da administração. Palestrante de renome internacional, conduz seminários para empresários e executivos nos Estados Unidos, Canadá, Europa, América Latina, África e Austrália; dirige ainda os seguintes programas de treinamento: ‘Managing Frontline Service’, ‘Competing Through Customer Service’ e ‘Service Excellence’.

Através da Performance Research Associates, empresa que preside, tem prestado consultoria para organizações como: AT&T, Citicorp, Toyota, Ford Motor Co., General Motors, General Mills, 3M Company, Union Carbide, United Airlines, Wells Fargo Bank e Xerox, atuando nos Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra, Austrália e outros países.

Programa: Sessão I: A Necessidade do Service Management – Porque concentrar na qualidade do serviço é crucial; As principais características das organizações que apresentam excelência no serviço; O retorno propiciado pelo serviço diferenciado. Sessão II: Compreender e Aprender com os Clientes – A importância da segmentação; O serviço diferenciado do ponto de vista do cliente; Instrumentos para entender o que o cliente deseja. Sessão III: Desenvolvendo a Estratégia e o Direcionamento para o Customer Service – Características de uma estratégia de serviço eficiente; Desenvolvendo uma estratégia voltada para o cliente; Ligando a estratégia de serviço aos compromissos e objetivos da empresa. Sessão IV: Aperfeiçoando todo o Sistema de Serviço – Esquematizando o seu próprio ciclo de serviço; O impacto de uma análise “Moment of Truth”; Como obter o feedback do sistema de serviço. Sessão V: Renovando e Recuperando o Atual Sistema de Serviço – Desenvolvendo padrões de serviço; As três dimensões da recuperação; Passos para a criação do sistema de recuperação. Sessão VI: Como Obter o Envolvimento das Pessoas Internamente – Como dar poderes ao seu pessoal; O treinamento das pessoas envolvidas; Cultivar a excelência do serviço: Incentivo e Reconhecimento.

 

  1. Putting People First, seminário conduzido pelo Sr. Claus Möller, realizado em S. Paulo, 29 de novembro de 1990. (Doc. 151)

Claus Möller – É considerado um dos maiores especialistas em administração e treinamento do mundo. Fundador e presidente da TMI – Time Manager International, que conta com escritórios em 36 países, sendo a maior e mais importante empresa de treinamento empresarial da Europa e uma das maiores do mundo.

Desenvolveu programas como o ‘Service Management Program’, ‘Personal Quality’, ‘Departmental Quality’, ‘Product Quality’, ‘Company Quality’, e ‘Putting People First’, reconhecidos internacionalmente e responsáveis por mudanças cruciais em empresas como American Express, Audi/Volkswagen, Ford, General Motors, Midland Bank, Japan Airlines, SAS e British Airways. Esta foi eleita a empresa aérea do ano em 1987, após os seus 36.500 funcionários terem passado pelo programa ‘Putting People First’, de Claus Möller.

Os resultados que se manifestam através do aumento da produtividade, elevação dos níveis de qualidade e melhoria nas relações interpessoais fizeram com que Möller fosse eleito pelo ‘UK Department of Trade and Industry’ como um dos ‘8 Quality Gurus’, em 1990.

Membro do ‘Board of Directors’ de diversas empresas e palestrante de renome internacional, Möller é também autor de diversos livros, entre os quais: ‘Quality Through People’, ‘Time Manager’ e ‘Putting People First’.

Seus programas de treinamento têm sido adaptados com sucesso a diferentes culturas como a japonesa, americana, australiana e latina. A TMI foi escolhida pelo governo da União Soviética para treinar as suas principais empresas e os membros do ‘Supreme Soviet’ em princípios ocidentais de administração, para facilitar a perestroika.

Programa: Este seminário tem como objetivo colocar o empresariado brasileiro em contato com o ‘New European Management’ de Claus Möller, que combina o melhor do management americano (administração por objetivos – resultados em 1o lugar), com o japonês (ênfase nas relações humanas – qualidade em 1o lugar), adicionando uma nova dimensão – a ligação entre o desenvolvimento pessoal e organizacional, concentrando-se nos conceitos de produtividade, relacionamento humano, qualidade e a interação entre eles.

Sessão I: A Qualidade através das pessoas – A qualidade total baseada na qualidade dos produtos e serviços; Como obter a qualidade de produtos e serviços; A qualidade departamental; A ‘Personal Quality’ é a base para todas as outras qualidades; Atingindo a ‘Total Company Quality’. Sessão II: Putting People First – A qualidade dos serviços externos nunca será superior à qualidade dos serviços internos; Coloque o seu pessoal em 1o lugar que eles farão o mesmo com o cliente; A abordagem ‘Beyond Bottom-Line Management’; As maiores fontes de recursos são a energia, a imaginação e o talento das pessoas. Sessão III: Criando Resultados – A otimização de recursos como tempo, energia e pessoal; A função do líder como agente de mudança; Lições extraídas de empresas que conseguiram o grande ‘Turnaround’; Como evitar a perda do foco em sua atividade; A eficiência na utilização do tempo e o controle dos custos serão fatores chave para o sucesso nos anos 90.

 

  1. The Competitive Company of the 1990's, seminário conduzido pelo Sr. Peter Drucker, realizado em S. Paulo, 8 de maio de 1991. (Doc. 152)

Peter Druker – É considerado o pai da administração moderna, é o especialista e autor mais lido e influente sobre as organizações e sua administração. Entre as mais de 20 obras, que se tornaram clássicos incontestáveis e foram traduzidas em todo o mundo, estão: ‘The Effective Executive’, ‘The Age of Discontinuity’, ‘Management: Tasks, Responsibilities, Practices’. As mais recentes são: ‘Managing in Turbulent Times’ (1980), ‘The Changing World of the Executive’ (1982), ‘Innovation and Entrepreneurship’ (1985), ‘The New Realities’ (1989) e ‘Managing the Non-Profit Institution’ (1990). Autor de numerosos artigos publicados nos mais importantes jornais e revistas da atualidade, escreve regularmente para o ‘The Wall Street Journal’. Tem prestado consultoria para muitas das principais empresas do mundo e diversos governos, incluindo os do Canadá, Japão e EUA. Além de lecionar na Universidade de Claremont e na New York University, conduz seminários para empresários e executivos de diversos países.

Drucker atua como membro e conselheiro da American Association os Science, National Academy of Public Administration; American, British, Irish and International Academies of Management – entre outras. Recebeu 17 títulos honorários de doutorado de universidades dos EUA, Bélgica, Inglaterra, Japão, Espanha, Suíça e condecorações dos governos da Áustria e Japão. Mais que uma oportunidade rara, o encontro do público empresarial brasileiro com Peter Drucker constitui privilégio único e incomparável.

Programa: Sessão I: Empresas em Transformação – como tornar e manter sua empresa competitiva – Como obter maior produtividade de todos os recursos: financeiros, materiais, humanos e de tempo; Três caminhos paralelos para a inovação; Concentrando sua empresa no desempenho; A base da empresa do ‘amanhã’; Crescimento através de alianças estratégicas; O futuro das multinacionais; A organização das empresas, a obtenção de recursos e a estrutura empresarial estão mudando mais rapidamente que em qualquer outra época: o que isto significa para um país como o Brasil?. Sessão II: Mercados, Consumidores e Canais de Distribuição em Transformação – O Brasil encontra-se efetivamente a meio caminho entre os mercados e consumidores de ontem, e os mercados e consumidores de amanhã. Qualquer empresa no Brasil precisa saber trabalhar em ambos os ambientes; Quais são as tendências relativas aos mercados, aos canais de distribuição; a àquilo que os consumidores compram, como compram e onde compram?; As mudanças nos mercados regionais e internacionais estão ocorrendo na mesma direção? O Brasil tem alguma coisa a aprender com os países mais desenvolvidos?. Sessão III: Sua Eficiência como Executivo – A maioria dos executivos trabalha muito, mas poucos são eficientes. Como lidar com este fato?; Decisões Críticas: Como tomar decisões eficientes quanto às pessoas; Como tomar decisões e mudar aquelas já tomadas pela empresa; Quando e como delegar; Quando e como tomar as rédeas; Como incluir o aprendizado contínuo no seu trabalho e na sua vida.

 

Destaque

Nessa ocasião acompanhou o Sr. Peter Drucker na condição de Médica Cardiologista, em todos os compromissos durante sua estada no país em decorrência de seus recentes problemas cardíacos.

 

  1. Competitor Intelligence, seminário conduzido pelo Sr. Leonard Fuld, realizado em S. Paulo, 27 de junho de 1991. (Doc. 153)

Leonard Fuld – É reconhecido como o mais conceituado especialista da atualidade e pioneiro em ‘Competitor Intelligence’.

Presidente da Fuld e Company Inc. – líder no emergente campo de ‘Competitor Intelligence’, com escritórios nos Estados Unidos e Inglaterra – presta serviços a empresas de todo o mundo. Suas equipes de especialistas nas diversas áreas da administração implantam sistemas de inteligência para a obtenção, análise e administração de informações sobre a concorrência e o mercado, utilizando em grande parte os recursos já disponíveis e inexplorados na empresa. Autor do best seller ‘Competitor Intelligence’ (1985) e da obra ‘Monitoring the Competition’ (1988), traduzidos para diversos idiomas, Fuld escreve ainda numerosos artigos para os mais importantes jornais e revistas como ‘The Wall Street Journal’, ‘The New York Times’, ‘Fortune’, ‘Newsweek’, entre outros.

Palestrante de renome internacional, tem conduzido seminários para executivos de empresas do Japão, Suíça, Inglaterra e Canadá. Nos Estados Unidos seus eventos têm contado com participantes de mais da metade das empresas da ‘Fortune 500’.

Os empresários e executivos brasileiros terão a oportunidade de estar em contato pela primeira vez com os modernos métodos de estruturação de um programa de informações altamente funcional e competitivo. Com estes recursos torna-se possível a obtenção, análise e administração de dados sobre a concorrência, como vendas, planos de marketing, preços, estrutura organizacional, desenvolvimento de novos produtos, custo operacional, canais de distribuição, estratégia publicitária e outros.

Programa: Sessão I: A necessidade do ‘Competitor Intelligence’- As diferenças cruciais entre ‘informação’, ‘análise’ e ‘inteligência’; A compreensão do processo de inteligência: as regras fundamentais e suas verdades universais; como organizar os dados para a tomada de decisão; Como transformar a informação em inteligência que sirva de base para a tomada de decisão; Como utilizar os recursos internos de inteligência já existentes mas não explorados; Fontes de informação que podem aperfeiçoar o seu planejamento estratégico e de marketing. Sessão II: Técnicas bem sucedidas de Inteligência – Os grupos básicos de fontes de inteligência; Timeling: Uma maneira de prever a atividade do concorrente; Benchmarking: Como analisar os produtos e os custos da concorrência; Como motivar toda a organização para o monitoramento de seus concorrentes; Métodos testados para identificar informações vitais que a concorrência revela. Sessão III: Criando o seu Próprio Programa Empresarial de Inteligência – Como empresas em todo o mundo têm sido bem sucedidas na sua implantação; Japão: Um caso especial; O sucesso da Xerox; Colocação dos alicerces: Estudo de um caso de uma companhia farmacêutica; Como proteger a inteligência de sua empresa. Sessão IV: Os Elementos Críticos de um Programa de Inteligência – A importância da cooperação interdepartamental; Que papel o computador deve e não deve desempenhar; A forma mais eficiente para transmitir a inteligência aos tomadores de decisão; O plano de ação: Como criar o melhor programa de inteligência possível.

 

  1. The Iacocca Management Experience, seminário conduzido pelo Sr. Lee Iacoca, realizado em São Paulo, 9 de novembro de 1993. (Doc. 210)

Lee Iacocca – É indiscutivelmente o líder empresarial mais brilhante das últimas décadas, tornando-se uma celebridade e um símbolo de competência e integridade em todo o mundo.

Iniciou sua vitoriosa carreira na Ford Motor Company, onde permaneceu durante 32 anos, ascendendo de management trainee a presidente da empresa, cargo que exerceu durante 8 anos (1970-78). Em 1978 ingressou na Chrysler Corporation como presidente e chief operating officer. Um ano mais tarde foi nomeado chairman of the board e chief executive officer, cargos que exerceu até o final de 1992, quando passou a chairman of the executive committee. No mês passado deixou este cargo e agora permanecerá como consultor da organização.

Dirigindo a Chrysler, travou uma verdadeira batalha, levando a empresa que estava à beira da falência à recuperação total em apenas seis anos, apresentando recordes de desempenho. Iacocca conquistou admiração pública por sua competência, coragem e ousadia que há muito não se via no mundo empresarial. É autor de duas obras que se tornaram best-sellers: Iacocca, na autobiography e Talking Straight (Falando Francamente), que venderam mais de 6,5 milhões de cópias em todo o mundo.

Tem sido um dos grandes incentivadores do aprimoramento do sistema de ensino nos Estados Unidos, e se dedica com entusiasmo à tarefa de tornar a indústria americana mais competitiva no cenário internacional. Participa ainda de diversas organizações de caridade, saúde e ensino sem fins lucrativos. Graduou-se em industrial engineering pela Lehigh University e obteve o mestrado em mechanical engineering pela Princeton University. Recebeu também diversos títulos honorários de doutorado de renomadas universidades americanas. Iacocca profere ainda palestras para empresários e executivos. A sua presença no Brasil para um seminário é uma oportunidade única e um privilégio incomparável para a nossa comunidade empresarial.

Programa: Sessão I: Tornando sua empresa mais competitiva – Como lidar com as mudanças; Como tornar-se um executivo mais eficiente; Como tornar-se e manter a empresa voltada para o cliente; Como aprimorar a qualidade continuamente; O futuro do ‘management’. Sessão II: Marketing e Vendas – A concorrência está cada vez mais acirrada, os clientes cada vez mais exigentes e os mercados estão se fragmentando. Qual a tendência do marketing nessa nova era?; Qual a melhor maneira de integrar o marketing com as outras áreas da empresa?; Perguntas dos participantes. Sessão III: Qualidade e Satisfação do Cliente – Quais são os fatores chave para o sucesso na implementação de um programa de qualidade?; Como engajar todos os funcionários no esforço pela satisfação total do cliente?; Perguntas dos participantes. Sessão IV: General Management – Como criar um ambiente de inovação contínua na empresa?; Como melhorar a sua eficiência como executivo e qual o perfil do executivo do futuro?; Perguntas dos participantes. Sessão V: Globalização e Economia – Como integrar-se e tirar proveito da globalização de mercados?; Qual a sua opinião sobre o comportamento da economia mundial nos próximos anos?; Perguntas dos participantes.

 

  1. The New Management and the New Company, seminário conduzido pelo Sr. Peter Drucker, realizado em S. Paulo, 30 de junho de 1994. (Doc. 218)

Programa: Sessão I: Empresas em transformação: como tornar e manter sua empresa competitiva – Total Quality Management, Reengenharia, Análise de Valor Econômico, são apenas conceitos de moda ou representam mudanças fundamentais na estrutura dos negócios?; A necessidade da melhoria e inovação contínuas na sua empresa; Da organização ‘comando e controle’ para a organização baseada na informação; A nova força de trabalho e sua produtividade; A organização das empresas, a obtenção de recursos e a estrutura empresarial estão mudando mais rapidamente que em qualquer outra época: o que isto significa para um país como o Brasil?. Sessão II: Mercados, consumidores e canais de distribuição em transformação – Quais são as tendências relativas aos mercados, aos canais de distribuição; e àquilo que os consumidores compram, como compram e onde compram?; Você sabe quem são seus clientes, quem deveriam ser e por quais produtos e serviços estão dispostos a pagar?; A sua empresa está preparada para os novos clientes e mercados?; Por que o mesmo cliente está se transformando em muitos compradores diferentes?; Quais são os novos mercados e setores em crescimento?; Qual a mudança no significado de ‘valor’ para os clientes? Sessão III: O Novo Management – Porque ser grande já não é uma vantagem; Como manter a viabilidade das empresas familiares; A mudança do papel da alta gerência; A necessidade de se tornar market driven e competence driven; O crescimento através das alianças estratégicas; As novas realidades do trabalho em equipe. Sessão IV: Sua Eficiência como Executivo – A maioria dos executivos trabalha muito, mas poucos são eficientes. Como lidar com este fato?; As novas habilidades necessárias especialmente para administrar relacionamentos em vez de dirigir por ‘comando e controle’; Decisões críticas: como tomar decisões eficientes quanto as pessoas; como tomar decisões e mudar aquelas já tomadas pela empresa; quando e como delegar e/ou tomar as rédeas; Como incluir o aprendizado contínuo no seu trabalho e na sua vida; Pensar globalmente e agir localmente; Como detectar os seus pontos fortes? Como definir seus valores e objetivos?

 

  1. Conquistando e Mantendo Clientes na Nova Era, seminário conduzido pelo Sr. Ben Shapiro, realizado em São Paulo, 30 de novembro de 1995. (Doc. 243)

Ben Shapiro – legendário especialista em Marketing e Vendas de Harvard. É autor de 12 livros, entre os quais, ‘Marketing Management’, ‘Sales Program Management’ e ‘Seeking Customers and Keeping Customers’. Escreveu ainda dezenas de artigos publicados nos principais jornais e revistas em diversos países. Teve 19 artigos publicados na Harvard Business Review, entre os quais ‘New ways to reach your customer’, ‘Making the major sale’ e ‘What the hell is market oriented?’ Shapiro tem prestado consultoria para mais de 130 importantes organizações como: General Foods, Monsanto, Chase Manhattan Bank, AT&T, Hewlett-Packard, DuPont, Apple, Johnson & Johnson e muitas outras. Suas principais áreas de atuação são: Marketing Strategy, Sales e Distribution Management, Pricing e Marketing Organization. Participou do Board da American Marketing Association e tem recebido diversos prêmios por sua valiosa contribuição ao marketing. Suas palestras, cada vez mais solicitadas em todo o mundo, estão trazendo uma contribuição marcante neste momento em que o desafio maior das empresas é enfrentar e adaptar-se à rápida transformação do marketing.

Programa: Sessão I: Novas maneiras para identificar os clientes mais lucrativos – Porque é tão caro conquistar novos clientes. Como diminuir este custo; Como desvendar o segredo da lucratividade de cada cliente; Quais as desvantagens do crescimento rápido e sua influência negativa na lucratividade; Quais são os clientes mais lucrativos. São estes os melhores clientes?; Novas maneiras para conquistar clientes; Como medir o impacto financeiro da perda de um cliente e definir o quanto vale a lealdade do cliente; Como administrar o relacionamento com os clientes em um ambiente de mudanças rápidas. Sessão II: Como administrar passo a passo o processo de interação com o cliente, aumentando sua satisfação e elevando a lucratividade – Porque devemos analisar a empresa ao nível de transações individuais; Quais as transações mais lucrativas para a empresa; Quais as novas maneiras para diferenciar a empresa dos concorrentes; Quando os nossos clientes se tornam vulneráveis à concorrência e quando os clientes dos concorrentes se tornam vulneráveis à nossa conquista; Como definir os pontos de alavancagem financeira no processo de interação com o cliente. Sessão III: Como diferenciar produtos e serviços para maior lucratividade – O que é um produto diferenciado. A sua criação ocorre no mercado, no laboratório, no escritório ou na fábrica?; Como definir uma ‘commodity’ e porque os clientes são tão ‘price-oriented’; Como vender com margens satisfatórias para clientes ‘price-oriented’; Como diferenciar produtos e serviços. A diferenciação é realmente importante?; Porque os clientes antigos colocam tanta ênfase na redução de preços. Sessão IV: Como integrar o marketing e vendas com as outras áreas da empresa para obter a satisfação total do cliente – Quando a coordenação interna entre os diferentes departamentos funcionais é mais importante; Como obter a coordenação necessária entre os departamentos funcionais. Qual o papel dos diferentes níveis de management na coordenação; Qual a relação entre a satisfação dos funcionários e a dos clientes; Qual o papel que os departamentos financeiros e de recursos humanos devem desempenhar na coordenação entre os outros departamentos; Qual o impacto da coordenação nos lucros. Até que ponto vale o investimento.