fbpx Orientação na Elaboração de Trabalhos Científicos | Cardiologia.pro

Orientação na Elaboração de Trabalhos Científicos

 

 

 

 

Capítulo 26

Orientação na Elaboração de Trabalhos Científicos

 

307. Antônio Augusto Tadeu Issa – 308. Fábio S. Dinamarco – 309. Márcio Fernando Maciel da Rocha – 310. Marcos Galan Morillo

 

 

307. Antônio Augusto Tadeu Issa

Orientou a elaboração e a redação da monografia sobre Neoformação Vascular, de conclusão do 2o ano de Residência Médica em Cirurgia Vascular do Hospital Jaraguá, argüida em 16 de dezembro de 1991. Aprovada com  grau 10 perante a Comissão Examinadora. (Docs. 179 e 180)

Resumo: A neoformação vascular é de vital importância para a irrigação dos tecidos, quando a artéria que os nutre está parcial ou totalmente ocluída, residindo aí a importância de seu estudo.

O desenvolvimento da circulação colateral explica o fato das lesões graves nem sempre levarem a manifestações clínicas importantes. Esta decorre de dois fatores: alargamento de anastomoses pré-existentes e/ou da neoformação vascular.

A rede vascular neoformada aparece em condições patológicas como a de anóxia crônica ou em decorrência da denervação simpática. A obstrução de uma artéria instalada abrupta ou lentamente, de modo a prejudicar o fluxo sangüíneo a seguimentos corpóreos ou mesmo a órgãos, leva o organismo a procurar compensar essa falta de sangue por vias colateriais.

É imprescindível oferecer ao paciente orientação para que ele desenvolva ao máximo sua circulação colateral como tratamento coadjuvante nas obstruções arteriais crônicas.

A neoformação vascular é tratamento espontâneo desenvolvido pelo próprio organismo para suprir as necessidades básicas e manter os tecidos íntegros, quando ocorre obstrução parcial ou total das principais artérias que irrigam este mesmo tecido.

Em alguns casos a circulação colateral pode ser eficiente para manter os tecidos irrigados somente durante o repouso. Entretanto, quando ela é bem desenvolvida, ela pode ser suficiente para manter a integridade dos tecidos mesmo durante o exercício.

 

 

 

 

308. Fábio S. Dinamarco

Orientou a elaboração e a redação da monografia sobre Reservas Orgânicas do Aterosclerótico, de conclusão do 3o ano de Residência Médica em Cirurgia Vascular do Hospital Jaraguá. Argüida em 17 de dezembro de 1991 perante a Comissão Examinadora. (Docs. 182 e 185)

Resumo: A aterosclerose é tida como doença da civilização. Cresce com ela e a cada dia que passa acomete indivíduos mais jovens. Constitui uma das principais causas de morte no mundo ocidental e, apesar de amplamente estudada em seus diferentes aspectos, não tem ainda perfeitamente definida sua etiopatogenia, tida como multifatorial. Em virtude disso, não há tratamento específico para ela, somente para suas complicações. Entretanto, é possível afastar alguns fatores que aumentam o risco de sua incidência.

É uma doença de início insidioso e suas manifestações decorrem da diminuição do fluxo sangüíneo para o território irrigado pela artéria acometida.

O presente estudo visa esclarecer um pouco sobre as alterações observadas em diversos órgãos que podem ser atribuídas à aterosclerose, como o paciente aterosclerótico mantém as funções de seus órgãos mais importantes submetidos a regime de baixo fluxo sangüíneo, e como abordar o paciente aterosclerótico.

O interesse por este estudo se deu pela observação de que a criança recupera-se de processos patológicos mais facilmente que o idoso, cuja capacidade de recuperação é comprometida pela presença de aterosclerose, surgindo a necessidade de melhor esclarecimento a respeito dos processos e entidades fisiopatológicas envolvidas.

Deve-se ter sempre em mente que o paciente aterosclerótico tem uma doença sistêmica que acomete seus principais sistema orgânicos e desgasta suas reservas, sendo necessária toda a atenção e cuidado na condução de seu caso.

 

309. Márcio Fernando Maciel da Rocha

Orientou a elaboração e a redação da monografia sobre Valor do Eco-Doppler na Hipertensão Renovascular, de conclusão do 3o ano de Residência Médica em Cirurgia Vascular do Hospital Jaraguá. Argüida em 17 de  dezembro de 1996 perante a Comissão Examinadora (Doc. 306), posteriormente publicado na Revista de Angiologia e Cirurgia Vascular, vol. 5, n. 4, p. 169, out./dez. 1996 (Doc. 266).

Resumo: A hipertensão renovascular é uma das poucas causas de hipertensão com etiologia definida. É doença progressiva com seqüelas graves, entretanto, se for diagnosticada a tempo, pode ser tratada cirurgicamente com êxito. Não existem características clínicas específicas para se fazer o diagnóstico clínico, pela anamnese e exame físico. O objetivo deste trabalho é avaliar a utilização do eco-Doppler na pesquisa de causa renovascular da hipertensão. Método: foram estudados 30 pacientes, do ambulatório de Hipertensão do Hospital Jaraguá, nos últimos seis meses, de acordo com critérios clínicos de investigação de hipertensão renovascular. Todos foram submetidos ao eco-Doppler de artérias renais através de abordagem abdominal, em um aparelho Acuson Sequóia 512 com transdutor 5C2 para abdome e realizado por médico ultra-sonografista com a supervisão da equipe de cirurgia vascular. Resultados: este método identificou doença da artéria renal em 10% dos casos estudados, que posteriormente foram submetidos a cintilografia renal com captopril e angiografia para confirmação do diagnóstico. Conclusão: O eco-Doppler por ser exame não-invasivo, não utilizar contraste nefrotóxico, ser relativamente barato, é eficaz na avaliação de pacientes hipertensos com suspeita de doença renal e deve ser utilizado de rotina para esse diagnóstico.

 

310. Marcos Galan Morillo

Orientou a elaboração e a redação do trabalho Echodopplercardiogram in the private health care system in the city of São Paulo, Morillo, M.G.; Ribeiro, I.G.; Lopes Filho, E.M.; Amato, M.C.M., apresentado no 11th International Congress – Cardiostim 98, em Nice – França, de 17 a 20 de junho de 1998 (Docs. 295 e 309 – ver resumo no Capítulo 15).